segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Comparações a que fim servem?



Ef 4;4-6

Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;
Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

Estas são as bases de unidade da igreja. São sete fundamentos inegociáveis e imutáveis.

Todos que estão de fato sobre estas bases, foram feitos um por Deus, independente de suas vontades.

Cristo tem um e apenas um corpo, queiramos isto ou não.

A unidade é resultado desta identidade e soberanamente determinada por Deus.

Só podemos deixar de ser um, excluindo os demais ou a nós mesmos....

Uma vez colocados no corpo só deixaremos de ser um, se sairmos do corpo.

Isto inclui todos os que se enquadram em Ef 4;6-8, gostemos ou não, concordemos ou não, simpatizemos ou não. (pentecostais, tradicionais, neo pentecostais...).

A razão de ser da unidade é a identidade, somos filhos de Deus, as bases de nossos relacionamentos, é a nossa identidade, e não nossa função ou posição.

I Co 1;12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.

As comparações existiam porque existem diferenças, observe que Paulo não condena a existência de vários apóstolos numa mesma cidade, mas as comparações feitas pelo povo, gerando competição, desprezo, até idolatria.

Entre nós existem diferenças, como existiam entre os apóstolos, porém nenhuma delas deveria ser motivo de desunião e divisão ou comparação.

Temos inúmeras diferenças de ação, carisma, talento, temperamento, ênfases, ministérios, comportamento, forma de fazer as coisas, costumes, família, personalidade, experiências...

As comparações são basicamente o fruto de duas atitudes;

1-Orgulho espiritual queremos provar que somos melhores, ninguém se identifica com o pior...

2-Desculpa para não cumprir o que Deus me falou pessoalmente (fulano faz assim, sicrano faz assado... eu acabo não fazendo nada.)

As comparações com este propósito são pecado, trazem divisão, contenda, competiç/ão, altivez de espírito, separam os irmãos, sentimento de estar perdendo por não estar em outro lugar...

Tenho por certo de que qualquer tipo de comparação entre pessoas e ministérios, por fim trará competição, discórdia, julgamento, manifestará preferências por alguns em detrimento de outros, enfim manifestarão um festival de carnalidade.

Muitos se utilizam da comparação com outros para se projetarem pessoalmente e mostrar o quanto mais justos, sábios e entendido, são que os demais. Na maioria das vezes isto demonstra um poço de insegurança.

Outros comparam aqueles que estão “acima” deles, para desfrutar da “glória” de seu líder, senhores isto é carnalidade e destruirá a comunidade!

A unidade não tem nada que ver com uniformidade, a sabedoria de 
Deus é multiforme.

As semelhanças são devidas a Cristo em nós.

I Co 12

4-Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5-E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
6-E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
7-Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8-Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9-E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10-E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11-Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
12-Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
Somos diferentes, e sempre seremos diferentes a única esperança é Cristo em nós.

Fazer todas as coisas iguaizinhos, não nos fará mais unidos, somente a compreensão de estarmos incluídos em um só corpo é que nos habilitará.

Divisão é pecado.

Ser um não significa sermos iguais.

Ser um é consequência de estarmos em Cristo.

A única chance de não ser um é se não estiver em Cristo.

Se alguém estiver edificando madeira, feno ou palha, o final dos tempos é que dirá isto.

Deus é o Juíz.

Da biologia aprendemos que o corpo humano tem um genótipo (de gens) e um fenótipo.

O genótipo diz qual a nossa descendência, depende exclusivamente de nossa filiação e da herança genética de nossos pais, sabemos pela fé que fomos enxertados em Cristo, agora temos a genética do filho, todo aquele que foi gerado em Cristo tem o “genótipo” semelhante. O genótipo não muda.


O fenótipo diz respeito às características apresentadas pelo indivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas, ou comportamentais, que são em muito influenciados pelo meio, experiências etc... o fenótipo sofre alterações com o passar do tempo. Assim, podemos ter pessoas com genótipos semelhantes e que tem fenótipos diferentes, gerando assim a multiforme sabedoria de Deus. Embora os filhos de Deus tenham em comum o gene do Cristo, sua aparência, hábitos, formas podem ser bastante diferentes dependendo de cada pessoa. O que realmente importa é que estejamos inseridos em Cristo, a forma exterior será transformada por Ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CABRESTOS E ANTOLHOS.

CABRESTOS E ANTOLHOS. Para quem não está habituado com os termos, cabresto é uma peça do arreio do equino que é colocada em su...