sábado, 21 de novembro de 2015

Reis e tributos


Reis e tributos.


“Você pode escolher o rei que quiser sobre sua vida, Deus não te impedirá, mas você não conseguirá escapar dos tributos cobrados pelo rei que eleger.”

Ouvindo um irmão lendo o texto abaixo, saltou-me aos olhos algo bastante interessante, observe que Samuel se ofendeu com o pedido do povo, mas Deus disse a ele que a rejeição não era contra Samuel, mas contra Deus mesmo. E então diz a Samuel para dar ao povo o que ele pedia, com a condição de pormenorizar as consequências desta escolha, vejamos:

I Sm 8 1-22
1-E sucedeu que, tendo Samuel envelhecido, constituiu a seus filhos por juízes sobre Israel.
2-E o nome do seu filho primogênito era Joel, e o nome do seu segundo, Abia; e foram juízes em Berseba.
3-Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele, antes se inclinaram à avareza, e aceitaram suborno, e perverteram o direito.
4-Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Ramá,
5-E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos; constitui-nos, pois, agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações.
6-Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao Senhor.
7-E disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles.
8-Conforme a todas as obras que fizeram desde o dia em que os tirei do Egito até ao dia de hoje, a mim me deixaram, e a outros deuses serviram, assim também fazem a ti.
9-Agora, pois, ouve à sua voz, porém protesta-lhes solenemente, e declara-lhes qual será o costume do rei que houver de reinar sobre eles.
10-E falou Samuel todas as palavras do Senhor ao povo, que lhe pedia um rei.
11-E disse: Este será o costume do rei que houver de reinar sobre vós; ele tomará os vossos filhos, e os empregará nos seus carros, e como seus cavaleiros, para que corram adiante dos seus carros.
12-E os porá por chefes de mil, e de cinqüenta; e para que lavrem a sua lavoura, e façam a sua sega, e fabriquem as suas armas de guerra e os petrechos de seus carros.
13-E tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras.
14-E tomará o melhor das vossas terras, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais, e os dará aos seus servos.
15-E as vossas sementes, e as vossas vinhas dizimará, para dar aos seus oficiais, e aos seus servos.
16-Também os vossos servos, e as vossas servas, e os vossos melhores moços, e os vossos jumentos tomará, e os empregará no seu trabalho.
17-Dizimará o vosso rebanho, e vós lhe servireis de servos.
18-Então naquele dia clamareis por causa do vosso rei, que vós houverdes escolhido; mas o Senhor não vos ouvirá naquele dia.
19-Porém o povo não quis ouvir a voz de Samuel; e disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei.
20-E nós também seremos como todas as outras nações; e o nosso rei nos julgará, e sairá adiante de nós, e fará as nossas guerras.
21-Ouvindo, pois, Samuel todas as palavras do povo, as repetiu aos ouvidos do Senhor.
22-Então o Senhor disse a Samuel: Dá ouvidos à sua voz, e constitui-lhes rei. Então Samuel disse aos homens de Israel: Volte cada um à sua cidade.

Algumas coisas me chamaram a atenção de forma especial.

1- Deus não se ofendeu ou ressentiu com o pedido do povo.

2- Deus não lançou qualquer tipo de maldição sobre o povo, embora estivesse claro que o povo estava escolhendo guiar-se a sí mesmo e não depender de Deus.

3- Se olharmos em Dt 17;14-18 o próprio Senhor já havia previsto que o povo pediria um rei, e deixou direções claras de como isto seria.

4- Deus diz a Samuel que deixasse claro ao povo as consequências de eleger um rei.

5- Mesmo ouvindo o preço a pagar, o povo quis o rei, queriam ser como as nações da terra...

6- Deus ordena a Samuel que faça segundo o desejo do povo.

A lição que mais me impactou é “você pode escolher o rei que quiser sobre sua vida, Deus não te impedirá, mas você não conseguirá escapar dos tributos cobrados pelo rei que eleger”.

Observe que a primeira coisa da lista é ele tomará vossos filhos... a seguir tomará vossas filhas para servi-lo... as consequências de nossa escolha serão sentidas por nossa casa, nossos filhos e filhas também se tornarão servos daquele a quem elegemos rei.

A seguir diz que o rei tomaria o melhor da terra, das vinhas, dos olivais para dar aos servos do rei...(nosso trabalho e esforço)
Também dizimaria as sementes e as vinhas em favor de seus oficiais.(aumenta o número de beneficiários do meu trabalho)

Os servos e as servas e os melhores moços e os jumentos também seriam requisitados.(os seus melhores recursos também serão disponibilizados ao rei)

Dizimaria os rebanhos e os próprios homens que o elegeram lhe seriam servos... ou seja o rei de fato reinaria sobre tudo e quem pagaria a conta, seriam os seus súditos. (qualquer semelhança com os sistemas de governo atuais, não é mera coincidência)

 A aplicação disto na política moderna é direta, mas não é isto que quero abordar neste momento, mas as implicações pessoais e familiares de nossa escolha por um rei que não seja o Cristo, afinal o Cristo nos disse que seu jugo é suave e seu fardo é leve. 

Em nossa caminhada muitas vezes elegemos reis que não são o Cristo, por exemplo o rei sucesso, não é problema obter sucesso na vida, mas se fizermos do sucesso um altar, nossa vida é que pagará o preço. Ascenção financeira, nenhum problema em ascender de forma justa e honesta, mas se este for o rei de nossa vida pode ficar certo que o preço final será sua completa submissão a isto. O rei conhecimento, formação acadêmica, nenhum problema em que haja doutores e phds, aliás é bom que existam! Mas se a formação acadêmica for o rei de sua vida, ela trará consigo um rastro de perdas familiares e pessoais. Um bom emprego, puxa que coisa bacana, mas saiba que com o bom emprego, também vem o patrão exigente e é muito comum o bom emprego custar a sua alma e tomar toda a sua vida, e quando você não tiver mais o que dar será demitido. Um grande negócio, que maravilha, gerar recursos e trabalho para inúmeras pessoas, mas se ele for o rei da sua vida, ele drenará seu tempo, família, saúde. Um bom casamento, sim casamento é de Deus! Mas se tudo que você quiser na vida for um marido ou uma esposa para ser como os demais da terra, pode estar certo de que juntamente com o cônjuge virá a conta à pagar... filhos, afinal eles são herança do Senhor, verdade, mas se se tornarem reis em nossa vida, prepare-se para viver sob o domínio de tiranos e pagar um alto preço...poderíamos citar inúmeros outros, sexo, vícios, ideais, poder, ministério,   etc...
Como coisas boas podem se tornar reis em nossa vida? Simples é uma questão de o que buscamos em primeiro lugar, queremos ser como as demais nações da terra, ou queremos ser guiados pelo Senhor dos exércitos? Qual o desejo mais forte de nosso coração?

Muitas vezes nos aventuramos pelo caminho de eleger reis estranhos em nossas vidas e não atentamos para o preço embutido nesta empreitada, lembre-se Deus não te impedirá de eleger um rei sobre tua vida, mas também não poderá impedir as consequências desta escolha, todo rei cobra seus tributos, você já fez a conta? Os benefícios concedidos pelo rei que você elegeu compensam o custo cobrado? 

A única maneira de sair debaixo da tirania dos reis que elegemos em nossas vidas, é rejeitando seu governo, com qualquer tipo de benefício que possamos ter auferido e sujeitar-nos ao Reis dos Reis. E isto é obra do Espírito Santo em nós.

Um comentário:

FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...