terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Por que as cigarras trocam seu esqueleto ?

Por que as cigarras trocam seu esqueleto ?









Certamente você já encontrou uma " casca com formato de cigarra " em algum jardim.


O que significa isso ?


A muda ou ecdise é o processo pelo qual os artrópodes trocam o esqueleto externo, que não cresce com eles.
o exoesqueleto duro é responsável pela proteção interna dos insetos. Mas, se por um lado o exoesqueleto protege o animal, ele também limita o crescimento. O inseto cresce, a "carapaça", porém, fica igual. O inseto começa a se sentir preso na carapaça e seu próprio corpo, inchado, acaba rompendo o exoesqueleto.
Durante a época da muda, o animal torna-se particularmente vulnerável ao ataque dos predadores, por dois motivos:


1) A carapaça mole não representa barreira mecânica eficaz,


2) Os músculos perdem a sua inserção resistente, e o animal move-se lentamente e por curtas distâncias. No caso particular dos artrópodos terrestres, há uma agravante: a carapaça recém-formada não é tão eficaz para dificultar a evaporação, e os animais estão sujeitos à desidratação.


Meditando em algo que ouvi ontem acerca de jovens que deixaram o caminho no qual foram criados e se entregaram a este mundo, lembrei-me desta imagem e de sua aplicação em nossas vidas.

Imaginemos que o esqueleto sejam as "doutrinas" (verdades) que sustentam a nossa fé e vida piedosa, elas tem a mesma função que um esqueleto, dar suporte, estabilidade, firmeza, proteção etc... e como o esqueleto, podem ser um endoesqueleto (como o dos seres humanos) que cresce junto com o ser e lhe confere toda a sustentação necessária, ou podem ser um exoesqueleto (como o dos artrópodes) que em determinado momento ficam por demais apertados e acabam sendo deixados de lado para que a vida possa continuar, com todos os riscos envolvidos...

Quando as estruturas de nossa vida são determinadas de fora para dentro, de forma que temos de ser contidos por uma estrutura previamente concebida e que não acompanha o nosso crescimento normal, cheia de dogmas, regras temporais, comportamentos aceitáveis, focada nos comportamentos e não nos valores e na vida de Cristo em nós, certamente chegará o momento em que esta capa, que por certo tempo nos pareceu tão apropriada e segura, tornar-se-á uma redoma sufocante que não permitirá o nosso desenvolvimento e invariavelmente levará à rebelião ou à hipocrisia, duas formas de auto destruição certa.

Como seres humanos que somos, fomos desenhados de forma a que nossa estrutura interna se desenvolva de forma harmônica com todo nosso ser, a origem de nossas ações e o motivo para elas foram planejados para serem interiores, a partir de um coração regenerado, transformado, e nunca a partir de  uma "cultura cristã" reinante, muitas vezes imposta apenas para dar satisfações à sociedade "evangélica" da qual participamos.

Nossos filhos naturais e espirituais, nos foram dados para que lhes mostremos a realidade do Cristo reinando em nossas vidas a partir de nossos corações e inundando todo o nosso ser, jamais para serem enquadrados em nossas tradições religiosas, preconceitos e "modo certo" de fazer as coisas.

A realidade do Cristo em nós é infinitamente superior a qualquer manual de boas práticas, e totalmente libertadora de toda e qualquer opressão.

Conheçamos e prossigamos em conhecer esta bendita realidade, Cristo em nós, a esperança da glória.

Provavelmente a única maneira de resgatarmos estes que estão nesta fase de "muda" de exoesqueleto, é nos libertando de nosso próprio exoesqueleto, tornando-nos também sensíveis a eles e dependendo do nosso endo esqueleto ( o homem interior), deixando assim o bom perfume de Cristo transbordar de nossas vidas.




segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento VIII

Finalizando esta lista de reflexões...

67- Estar unidos é estar alertas.
68- União é como o vigia, a sentinela, como a mãe de uma criança doente, como o guarda de Israel.
69- Ninguém tire o sol do outro.
70- Viver sem sol, um dia, dois dias, muitos dias, é terrível.
71- Casamento é adoração. Não adoração um do outro.
72- Casamento tem necessidade de fé. Como, estão aí dois e não existe um terceiro entre eles?
73- Como, aí estão dois e não desejam alguma cousa que a eles ama, que eles amam?
74- Casamento não é aliança para construir fortuna.
75- Casamento é pôr-se no lar em ambiente bom, fidalgo, nobre, bonito, alegre, livre da escravidão do que é pequeno, mesquinho, livre do egoísmo e do mal.

Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento VII


Mais algumas, estamos quase no fim...


57- Um dos cônjuges pode enterrar sua própria vida.
58- Mas nenhum dos cônjuges deve servir de sepultura para o outro.
59- “Amor muito grande cala” – assim li uma vez. Ah, não! Grande amor consola o que o que o ofende.
60- É natural que nos calemos quando nosso companheiro nos deixa só entre estranhos.
61- Mas aquele que ama cala também quando estão juntos os dois.
62- “Espere, quando eu o pegar sozinho”- assim diziam os moleques quando eu era criança.
63- Muitas vezes um dos cônjuges tem que falar. Ele é médico em relação ao outro. Ele é amigo do outro.
64- União é comunhão de pensamento, de consciência.
65- O amor tem palavras tão doces: “Ajuda-me a livrar-me de mim mesmo”- “Você que me feriu, cura-me”- “ Você fiel amigo, sempre alerta” – “Você coração amado “.
66- Grande amor corre como águas das grandes cordilheiras, onde há sempre profundeza. De sorte que nunca se sabe o que um grande amor pode fazer.

Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento VI

Continuando com nossas reflexões, que bom seria se interiorizássemos estas de hoje e as vivenciássemos dia a dia...

46- É bom saber expressar o que sente.
47- É perigoso não saber fazê-lo.
48- Deus deu ao companheiro os ouvidos para que ouça os queixumes do outro; para que ouça com amor.
49- Ouvir com amor, não com tolerância, eis a chave!  
50- Ironizar o companheiro em frente de terceiros em reuniões sociais, quebra a união.
51- Aliança protege como uma mãe protege sua criança. União perfeita cobre o companheiro. Aliança se mantém como o oficial e o estudante se mantêm, pela honra do companheiro.
52- O amor vê muito longe. Ele vê as fraquezas do ente amado. Por isto ele é médico e véu.
53- Não ama a verdade aquele que a diz a outros.
54- Só ama a verdade aquele que a suporta contra si.
55- União está antes do “limpar a casa”; União está antes da “leitura do jornal”; União está antes do “passar roupa”; União está antes da “profissão”; União clama sempre: “para o lar! Oh, sempre para o lar!”
56- Ter tempo para o companheiro de vida é mais importante do que ter dinheiro para ele.




Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento V

Mais algumas frases para meditarmos...


37- Seja maior do que o momento. Seja sempre maior que o momento.
38- Nunca seja menor que o momento.
39- Seja maior que o momento. Caso contrário, como poderia reconhecer a insignificância dos motivos?
40- Nunca seja menor  que o momento. Como poderia suportar a vergonha  de ter sido menor do que é pequeno, insignificante?
41- Casamento pode ser traduzido por “Mariage” em francês; ” suportar” em português; “bondade” em português; “ não eu” em português; “ alegrar-se sobre ele” em português;  “chorar sobre o mesmo” em português.
42- Na verdadeira união os cônjuges se tornam cada vez mais jovens. Todos os anos sempre mais jovens.
43- No casamento o repertório de assuntos aumenta. Cada vez mais a conversação em comum se aprofunda no sentido da vida, nas almas dos cônjuges.
44- “Amor calado” tem gosto de lenda de museu. Amor fala!
45- Comunhão de móveis, não é comunhão.


Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento IV


Continuando...




29- Qual o maior sentimento do casamento?
30- Ame teu próximo!
31- Quem é meu próximo?
32- Aquele que não tem tolerância comigo.
33- Aquele que se controla com todo mundo, menos comigo.
34- Aquele que perdoa o estranho e a mim não perdoa.
35- Aquele que o  conhece e mesmo assim levanta motivos falsos  contra você.
36- Por isto: “Ame ao teu próximo” e outra vez mais: “Ame ao teu próximo.”


Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento III


Reflexões sobre o casamento

Continuando...

21- Falo dos homens como eles são:
22- Por isto digo: Não faça nunca uma censura . Não há censura que possas fazer ,que o outro, em silêncio, já não fez a você.
23- Quem quer ser feliz não deve se casar.
24- Fazer  feliz, eis o lema.
25- Quem quer ser compreendido não deve casar-se.
26- Compreender, eis o lema.
27- Quem não conhece o sentimento com o qual uma pessoa enche a sua vida, não a conhece. Trata-se de mãe e filho, trata-se de marido e mulher.
28- Recordação, esperança e consciência, uma forte corrente,  constituem o sentimento da vida.


Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Reflexões sobre o casamento II

Continuando o assunto....


11- A aliança pode sofrer uma  paralisação; “antes você era diferente”; “antes você fazia isto e aquilo”. Isto é a paralisia!
12- Quando um dos cônjuges acentua a semelhança da criança com o outro – acentua quase sempre o negativo – isto é uma guerra oculta em ponto pequeno.
13- O homem se prepara para todo o ofício e profissão. Somente para a profissão mais difícil – o casamento - ele não se prepara.
14- Quem faz aliança sem o desejo “só você” não faz aliança.
15- Aliança é servir.
16- Quem se deixa servir quebra a união.
17- “Ter tido razão” é para aquele que ama o pior dos negócios.
18- “Tive razão outra vez”, só pode dizer isto aquele que não ama.
19- Não ter tido razão é uma doce felicidade.
20- Só não há desentendimento “naquela” união na qual uma parte, por preço nenhum, quer ter razão.


Frases traduzidas do alemão (texto de 26/03/1951) por Henrique Gustavo Bucher e presenteadas  a Dag e Márcia na ocasião de seu casamento (22/04/1989)       

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Reflexões acerca do casamento

      
Recebí esta coleção de frases traduzidas do alemão de um tio no dia de meu casamento. Desde então já a utilizei muitas vezes auxiliando casais e em minha própria caminhada. Vou compartilhar em doses homeopáticas e espero que possam fazer bom uso.

  Reflexões acerca do casamento

1- Ser casado não é necessário. 
2- Viver feliz no casamento é indispensável.
3- Casamento jamais deveria servir de filtro para almas desiludidas.
4- Há uniões que só efetivam a aliança dos cônjuges depois da morte de um dos cônjuges.
5- Mas há também uniões que desaparecem com a morte de um dos cônjuges.
6- Há alianças que não são alianças.
7- Quem se queixa de seu companheiro a outros, quebra a união.
8- A aliança está baseada necessariamente na confiança absoluta.
9- Daí a necessidade da discrição no casamento.
10- Demonstramos confiança incondicional , confidenciando ao companheiro os nossos segredos.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Considerações sobre casamento



 Considerações sobre casamento


No casamento dois seres completos se unem para a formação de uma nova unidade, que é maior que a soma dos dois.
Não há como alguma coisa ser muito boa para um em detrimento do outro, isto com certeza será destrutivo para a união, algo só será bom para a união se for bom para ambos.
Quando a união falha, todos perdem.
O casamento foi constituído para que por meio dele homem e mulher atinjam a plenitude do que Deus planejou para ambos, observe do que Deus planejou, não a nossa cultura.
A liderança do homem na família não significa que ele é maior ou melhor, a liderança é serviço.
(Gênesis 2:24) - Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
O homem e a mulher deixam sua casa e se unem e se tornam uma só carne,  não é mais o menininho da mamãe e nem a filhinha do papai, são uma nova unidade familiar, é o esposo da fulana e a esposa de cicrano...até a maneira que somos chamados muda, então a s atitudes e relacionamentos também necessitam mudar, a bem da união. Pai e mãe de ambos passam a ter nova função e em hipótese alguma devem regredir e tentar agir como se os filhos ainda fossem crianças.
(Gênesis 1:27) - E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
Deus criou a raça humana, homem e mulher os criou, seres da mesma espécie, com diferenças para o desempenho de suas tarefas, porém ambos feitos à Sua imagem (identidade, caráter, propósito) e semelhança(forma de ação) .
Homem e mulher tem propósitos específicos de Deus em suas vidas e devem trabalhar juntos na execução dos mesmos.


domingo, 9 de fevereiro de 2014

O medo de errar

Texto de Carolina Leite Dutra. 

O medo de errar 

Quantas coisas deixamos de tentar por medo de errar.
Ou quantas vezes transformamos um erro num instrumento de tortura e depreciação pessoal capaz de nos levar ao mais fundo dos poços, no auge da nossa auto piedade. 
E assim paramos de tentar e concluímos que os outros sabem mais, são melhores e por algum motivo alheio foram dotados de mais talento, graça e sorte.
E no final dessa caminhada espera-se encontrar uma plateia imensa sorrindo e sentindo pena de você, dizendo que será diferente, que alguém virá com uma varinha mágica no próximo episódio e te transformará em alguém fabuloso e colocará um cartão de crédito ilimitado em sua carteira discretamente.
Mas  não. 
Não haverá platéia, não haverá risos, não haverá nada. Não haverá ninguém.
Tá bom, as vezes tem alguém na platéia que dá um sorriso meio forçado e tenta te animar, ansioso para que o espetáculo acabe e que você assuma sua verdadeira identidade e vá viver sua vida de fato. 
E quando o personagem não desencarna e vai com você pra casa, para o trabalho, dizendo a todos por entre as linhas como você é importante e como é, você sabe, igual aos outros, e ele fala com o porteiro,  com o motorista do ônibus, fala com a faxineira do prédio, a atendente do banco, o caixa da padaria, de alguma forma mostra a todos como é alguém que se encaixa, que é como deveria ser, que deve ser bem visto. E essa busca desesperada por reconhecimento e aceitação que começou  com medo de errar, medo de tentar, falta de coragem pra lutar agora vira uma brincadeira da camuflagem e você torce para que ninguém perceba que lá no fundo você não é nada daquilo, uma parte até queria ser mas outra não faz a menor questão, você apenas quer ser aceito, admirado, quer fazer parte de um todo.
Mas porque mesmo estamos falando disso? Ah sim, o medo de errar. Antes de tentar você sofre, você olha ao seu redor e vê como os outros fazem bem feito, como a linha segue reta e o lápis não treme, não borra, não hesita.
Mas o seu lápis continua ali, parado, com a tampa, dentro da caixa. 

Mas um dia eu peguei o meu lápis e decidi tentar. E decidi tentar até eu conseguir.
Eu errei algumas vezes e transformei o meu erro num instrumento de tortura e depreciação pessoal capaz de me levar ao mais fundo dos poços, no auge da minha auto piedade. E assim parei de tentar.... e esperei a varinha mágica que não veio...o cartão de crédito então passou longe...veio a plateia vazia, o personagem andando pelas ruas, a camuflagem, até que eu decidi tentar de novo e de novo, e não mais transformar o meu erro num instrumento de tortura, mas transformá-lo num aprendizado leve, divertido, engraçado. E decidi que eu ia errar muitas vezes. E que não temeria mais, erraria tentando acertar até conseguir.
Claro, errar não é gostoso, mas é preciso rir dos próprios erros e continuar tentando. E num dia despretensioso como outro qualquer eu consegui, meu lápis não tremeu, não borrou, não hesitou e meu traçado ficou perfeito!
Só eu sei quantas vezes chorei e minhas lágrimas caíram no papel, misturaram-se ao desenho borrado e ficou tudo mais borrado ainda. Mas só eu sei também como é bom errar e como o erro produziu o acerto que enfim chegou para mim.
Não quero ter mais medo do erro. 
Quero errar, errar, errar! Não me importa se vai ficar salgado, se vai queimar, se vai ficar torto ou se alguém não vai gostar.
Não ter medo de errar é ser livre. Vale a pena tentar! 
E se você errar, pode me chamar, eu te ajudo a limpar ou concertar!
Só não me chama pra fazer parte da platéia, pra sorrir forçado e sentir pena de você, ah isso não! 
Mas pra dar a mão, ajudar a levantar, conversar, encontrar um jeito de melhorar, ah, pra isso nós vamos lá!
E no dia que você acertar e sentir a gratidão e alegria, eu quero estar lá.
Para te abraçar forte, olhar nos seus olhos e vê-los brilhar.
E te ouvir dizer com a voz embargada:
“Valeu a pena tentar. Valeu a pena lutar. e mais que tudo, valeu a pena errar”

No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor. 1 João 4:18



FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...