quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Arrependimento




Arrependimento

Mudança de atitude, de mente, de entendimento. Metanoia.

Mudar em relação ao que? Ao entendimento de que o posso viver a vida como entendo, e não como Deus quer. O arrependimento diz respeito a uma vida independente de Deus, e é isto que causa todas as demais coisas erradas em nossa vida.

De nada adianta esmurrar o próprio corpo em busca de transformações na vida sem havermos desitido de nossa independência, ideias brilhantes, valores, legados de gerações anteriores, etc... não encontraremos nem força, nem razão para as inúmeras mudanças requeridas pelo Reino de Deus.

Uma ideia perigosa de nossos dias e muito em voga é a de que podemos estar no reino de Deus e continuarmos com o nosso velho padrão de pensamento. Não , não é possível seguir o Rei e continuarmos pensando da mesma forma como antes de conhecê-lo. Isto é tentar servir a dois senhores, aí está uma razão para tantas dificuldades que encontramos em mudar hábitos arraigados, padrões de pensamento, condutas e etc... a famosa e triste frase “não alcancei isto ainda” deveria ser dita assim: ainda não desisti de minha independência a ponto de conseguir obedecer a este mandamento, falta-me arrependimento.

Quando Jesus iniciou sua pregação , ele dizia “arrependei-vos, pois é chegado o reino de Deus”, o reino de Deus está próximo, o reino de Deus está em vós e estará entre vós... para aquelas pessoas o reino era representado pelos escribas e sacerdotes, o clero dominante que determinava o que agradava a Deus e o que não o agradava. Somente os sacerdotes tinham acesso a Deus e em ocasiões específicas, isto era para pouquíssimos.

Jesus vem dizendo eu sou o rei, a vida eterna é que conheçam ao Pai e aquele a quem ele enviou, meu jugo é suave e meu fardo é leve, em outras palavras, andem comigo e acertem o alvo. O reino será vivido pela presença de meu espírito em vocês. É algo totalmente revolucionário e determina o fim de uma maneira de pensar e estabelece os fundamentos do reino, o que vocês aprenderam até aqui não serve, ouçam o que vos digo, arrependam-se (mudem seu pensamento) e viverão.

O arrependimento de nossa independência de Deus é a maneira de entrar pela porta do reino, sem ele é impossível compreender e viver o reino, o reino se torna inacessível, inviável.
Arrepender-se é necessário, porque é possível, é viável, uma vez conhecida a boa nova, ela gera fé em nosso coração e nos leva ao arrependimento, nos habilitando a viver uma nova vida, tudo se faz novo. Nada disto pode acontecer sem uma nova maneira de pensar.

Após esta mudança de mente, os valores mudam, e tornamo-nos aptos a ver a necessidade de transformação em nossa conduta, não é mais o que nos dizem e o que pensamos que determinam nossa vida, mas o que Deus pensa, isto é o que importa. O que o Pai diz acerca de minha maneira de ser? A forma como gasto meu tempo, o dinheiro? As roupas que uso? As liberdades que tenho? Meu relacionamento com familiares e todos os outros? Como me porto diante de autoridades, nos negócios, no laser? De minha forma de reagir às circunstâncias boas  e ruins que me acontecem? Etc, etc...

Na verdade se não abandonarmos a nossa independência original, viveremos numa contínua luta em nosso íntimo, tendo de fazer infinitas decisões difíceis a cada dia, decisões que não seriam necessárias se já tivéssemos nos entregado por completo ao Rei.

Mas quem vai definir o que fazemos ou deixamos de fazer? As autoridades eclesiásticas? Os dogmas da tradição de nossa congregação? A consciência alheia? Eu mesmo? Não, quem definirá todas estas coisas, é o próprio espírito de Deus que foi outorgado àqueles que já se renderam a ele, ele fará isto de muitas maneiras diferentes, sempre em sintonia com a palavra de Deus.

Observe que o arrependimento não é algo que ocorre de fora para dentro, mas de dentro para fora, há um primeiro estímulo externo que é a chegada da boa nova à nós, gerando fé e a fé me faz ver a necessidade de arrependimento (mudança).
Uma vez entendido isto, a compreensão dos demais requerimentos do reino será muito mais simples, e sua aplicação não demandará grandes doses de confronto e convencimento.

“Aquele a quem a palavra eterna fala, fica livre de suas muitas opiniões”. (Thomas à Kempis)
Observando de perto argumentos que frequentemente ouvimos, podemos perceber que a essência do problema é: quem manda aqui? Eu ou Deus?

Arrepender-se então é a forma de entrar em harmonia com Deus, jamais podemos nos esquecer que é a bondade de Deus que nos conduz ao arrependimento, e que é Deus quem efetua em nós o querer e o realizar segundo a sua vontade. Senão começaremos a nos vangloriar de nossa capacidade de arrependimento, ou tentaremos impor a outros o arrependimento. O arrependimento de fato só será possível pela chegada da palavra de Deus à nós e ao convencimento pelo Espírito Santo do pecado, da justiça e do juízo.

Uma vida digna de arrependimento só será vivida à partir da habitação de Cristo em nós, e não por nossos esforços pessoais, mas pela ação dele em nosso interior.

Pense nisto:” você é o que você pensa, não o que você pensa que é”. Esta é a razão pela qual, se não mudarmos a nossa maneira de pensar (arrependimento), jamais poderemos experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm12;2).

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A busca por segurança

Recebí o link de um blog em inglês e decidi traduzir, pois achei o conteúdo muito interessante. Embora não faça citação explícita da Bíblia, demonstra a real necessidade humana.



A busca por segurança
Escrito por Joshua Becker
Traduzido por Dag

É próprio da natureza humana necessitar e desejar segurança.

Nós temos procurado por ela em todos os lugares errados.

Um senso de segurança pode vir de bens materiais ou de relacionamentos que nos dão apoio. De fato, pesquisas apontam que as pessoas que não se sentem amadas e aceitas por outras tendem a enfatizar as possessões materiais.

Margaret Clark, uma mestra de psicologia em Yale, descreveu isto desta forma:

Humanos são criaturas sociais com vulnerabilidades. Relacionamentos próximos proveem proteção. Por exemplo, bebes não sobrevivem sem outras pessoas. Mas as possessões materiais também oferecem proteção e segurança. Humanos necessitam de comida, vestimentas e teto (moradia) para sobreviver. É necessário um mix de coisas para fazê-lo sentir-se seguro. Mas se você supervalorizar uma fonte de segurança, as pessoas vão considerar menos as outras.

Esta descoberta foi baseada em dois projetos de pesquisa únicos que ela e seus colegas conduziram e publicaram em março de 2011 no “The Journal of Experimental Social Psicology”. A pesquisa conclui dos estudos que aqueles que não se sentem internamente seguros nos seus relacionamentos pessoais, sempre irão colocar maior valor em posses materiais.

Esta é um realidade importante para cada um de nós considerarmos e entendermos.

Aqueles que encontram apoio em relacionamentos pessoais próximos, não colocam muito valor em bens materiais.

Em nossa sociedade, muitos de nós creem que segurança pode ser adequadamente encontrada na acumulação pessoal de posses materiais. Bem, há um grau de verdade nesta afirmação. Certamente , comida, vestimentas e teto, são essenciais à sobrevivência. Mas a lista de possessões que realmente necessitamos para sobreviver é mínima.

Nós temos confundido necessidades com desejos e segurança com luxo.

Como resultado, muitos de nós possuímos e colecionamos grandes pilhas de estoque de bens materiais em nome da segurança ou da felicidade. Nós trabalhamos longas horas para obtê-los. Nós construímos casas maiores para guardá-los. E gastamos mais energia mantendo-os.

 O fardo da acumulação e da manutenção, vai se tornando devagar o foco principal de nossas vidas. 
Nós gastamos nosso tempo e energia buscando coisas que são de natureza física. Nós sonhamos com um futuro que inclui salários mais altos e casa maiores. Nós tramamos e planejamos para adquiri-las. Nós vamos longe para cuidar delas e ficamos com ciúmes quando alguém tem mais coisas do que nós. Buscamos segurança na acumulação de dinheiro e de aquisições materiais.

Mas a segurança encontrada nas posses é frágil e passageira na melhor das hipóteses. Em nosso ocupado, frenético, mundo do corre- corre, somos deixados com muito pouco tempo ou oportunidades para desenvolver relacionamentos interpessoais profundos. Estamos muito distraídos construindo nosso próprio reino pessoal.

A pesquisa (e provavelmente nossos próprios corações) argumentam contra este pensamento. Nos chamam para lembrarmos a importância das coisas que não podem ser vistas a olhos nus ou adquiridas com dinheiro; amor, amizade, esperança, integridade, confiança, compaixão. Estas são as coisas que trazem substância, plenitude, e alegria duradoura a nossas vidas. Estes são os atributos que trazem segurança durável.

Possamos nós buscar e desejar estas coisas. E assim prover um fundamento de segurança durável para nossas vidas por meio delas.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Como é ser filho de Deus? Como acontece na prática essa realidade?

Como é ser filho de Deus?
Como acontece na prática essa realidade?

As escrituras sagradas permeada pelo Espírito Santo é a única fonte confiável de instrução para vivermos essa realidade. Por isso, vou citar um trecho de salmos:

"Todos falam de bem de você meu Senhor; ensina-me a tua palavra. 
Com os meus lábios repetirei os juízos que ouvir de tua boca. Encontrei tanto descanso e leveza no caminho da tua palavra! 
Mais do que em todas as riquezas que pude ajuntar. 

Meditarei na tua palavra, e terei respeito profundo aos teus caminhos.
Meu entretenimento será me aprofundar nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra jamais, me aprofundarei nela.


Faz o bem à mim. 

O bem pra mim é ouvir, meditar e obedecer tua palavra. sou o teu servo, por isso me dá tranquilidade de dias para que eu viva e observe diariamente a tua palavra.

Abre os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei. Elas são maravilhosas e profundas. Sou um peregrino nesta terra; por favor, Papai, não escondas de mim os teus mandamentos. Me ajude a compreendê-los com simplicidade e de forma completa, não como um filósofo.

A minha alma está quebrantada e fico a desesperado por desejar os teus juízos em todo o tempo. Tu repreendeste asperamente aos que pensam que são capazes de entender. Estes, os soberbos, são amaldiçoados, pois pensam que sabem tudo mas se desviam dos teus mandamentos. Não há maldição maior do que viver longe da tua palavra.

Tira de mim, me livra do risco de abandonar tua palavra, isso seria uma vergonha profunda e um desprezo que não posso suportar, pois em meu íntimo eu guardo os teus testemunhos. Me importo com aquilo que você pensa e com a forma como você quer.

Grandes e poderosos se assentaram, e falaram contra mim, mas eu, teu servo, continuo meditando nos teus estatutos. Também os teus testemunhos são o meu prazer diariamente e são as tuas opiniões que me aconselham. A minha alma está apegada ao pó; não quero estar longe da tua palavra; vivifica-me segundo a tua palavra.

Eu te contei todo os meus segredos e te coloquei como a prioridade dos meus caminhos, e tu me ouviste atentamente; agora, quero me calar! Ensina-me os teus estatutos Papai!

Faze-me entender intenção dos teus preceitos; para que eu não me desvie nem um centímetro de sua palavra, aí sim falarei das tuas maravilhas que compreenderei com destreza. A minha alma se consome de tristeza; por favor meu Pai amado, me fortalece não pela comida ou energia desta existência, mas segundo a tua palavra.

Me protege de tomar o caminho da falsidade, falando do que não vivo, nem induzindo outros a irem por onde eu não entendo, mas concede-me piedosamente compreender e cumprir a tua lei. Eu escolhi o caminho da verdade; e me propus firmemente a seguir os teus juízos, ainda que isso me custe a vida. Eu me apego aos teus testemunhos; ó Senhor, não me deixes sem o verdadeiro entendimento, para que eu não me confunda.

Enfim, eu correrei velozmente pelo caminho dos teus mandamentos, porque eles me tornam um homem forte e livre diante de todos.

Um pouquinho de Salmo 119 (vers 12-32)
(Não é o texto literal que estou escrevendo é como eu orei ao meu Pai este Salmo queridos hoje de manhã).

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Cristo em nós.



Durante um período de oração em grupo, veio-me à mente um pensamento bem forte e claro:

Nunca foi a intenção do Pai, que nós nos tornássemos parecidos com o filho mediante esforço e tentativa e erro, mas o projeto é que o Cristo seja formado em nós por nossa permanência nele. Ou seja é Deus quem efetua esta transformação, nossa parte é permanecer ligado à videira!!! (Jo 15)

Isto deveria ser motivo de grande alegria e descanso para nossas atribuladas almas, não se trata de reformar a vida natural e elevá-la a uma nova dimensão, não, isto não é possível, afinal carne e sangue não herdarão o reino de Deus. O projeto é de uma substituição da vida do velho Adão pela vida de Cristo em nós, é por isto que a superior aliança descrita no livro de Hebreus fala de termos um novo coração, de ter o Espírito de Deus e de ter as leis inscritas em nossa mente,  tudo isto realizado por Deus!!! (EU LHES DAREI, é o que Deus diz).

Qualquer esforço no sentido de operar esta mudança à partir de nossa velha natureza, se mostrará inócuo, e uma completa abominação a Deus, pois deixa de lado o sacrifício do Cordeiro, o qual de uma vez por todas encerrou todos os sacrifícios, ao tentarmos nos aperfeiçoar na carne, estamos dizendo; Senhor, não era necessário a morte de teu filho, com uma boa dose de esforço eu consigo me tornar uma versão melhorada de mim mesmo... isto é abominável.

Voltando ao projeto original, o Pai quer manifestar o Filho por meio de nós, e isto acontecerá à medida em que permanecermos nele.

A compreensão destas realidades certamente mudará nossa prática de vida, que o Senhor ilumine os olhos de nosso entendimento e nos faça compreender este mistério.

O que mantém o boi no pasto é o capim e não a cerca.


O que mantém o boi no pasto é o capim e não a cerca.

Obviamente, não me atreverei a fazer um tratado sobre bovinos, tampouco insinuar que pessoas devam ser tratadas como bois, mas acho a ilustração muito apropriada aos relacionamentos humanos, sobretudo na igreja.

Quanto tempo perdemos concertando cercas (fazendo limites, regras, leis visando proteger o povo), que acabam se mostrando inúteis, quando deveríamos estar cuidando do capim (alimento) e do rebanho (pessoas).

O alimento adequado não é somente a pregação da Palavra, a qual é fundamental!!! Mas também a existência de relacionamentos corretos e significativos, baseados na realidade do Espírito de Deus em nós. O reino de Deus é relacionamentos, já dizia um irmão há muitos anos. Uma visão clara, também é fundamental.

Relacionamentos mal conduzidos (sem levar em conta a intermediação de Cristo, baseados na carne e suas expectativas incabíveis) causam divisões entre as pessoas, muito mais do que divergências de opinião e de doutrina.

A medida da maturidade é o amor ágape, I Co 13;11 Paulo afirma, “quando eu era menino...” qual a diferença entre o menino e o adulto segundo este texto? O amor. Todas as coisas que Paulo cita no início do texto, são coisas próprias de meninos, ciúme, buscar o próprio interesse, se conduzir inconvenientemente etc...

Quando Jesus quis deixar um sinal claro de que as pessoas o seguiam, ele disse: “nisto conhecerão todos, que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” Não citou qualquer dos indicadores externos que muitas vezes defendemos ardorosamente, foi direto à raiz de todas as coisas, se tiverdes amor... cumprireis a lei e os profetas. Para que o amor seja perceptível, os relacionamentos são insubstituíveis... 

Quando da separação das ovelhas dos bodes em mateus 25;40, novamente o sinal é o amor. “cada vez que o fizestes a um destes meus pequeninos, a mim o fizestes”.

Acredito que um ambiente de ternos afetos e misericórdias e cuidado meticuloso de uns para com os outros, aliados a uma sã doutrina, são os ingredientes fundamentais para que as pessoas desejem permanecer em sua vida comunitária, sem nenhuma necessidade de regras e programas mirabolantes que as mantenham presas dentro de um cercado, ansiando pelo dia em que conseguirão romper a cerca, em busca de melhor alimento.

João
15.12   O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.
15.13   Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos
15.14   Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.
15.15   Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.

Gálatas
6.1   Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.
6.2   Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo
6.3   Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana
6.4   Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivo de gloriar-se unicamente em si e não em outro.
6.5   Porque cada um levará o seu próprio fardo.
Provérbios
27.23   Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos
Colossenses
3.14   acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Palavras frívolas


Mt 12.36   Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo;

Um dia destes em uma festa de casamento  pude reencontrar algumas pessoas que um dia já foram próximas e que hoje não mais o são, observando as pessoas e o que ocorreu com o passar dos anos, veio-me à mente o versículo acima, a princípio achei meio estranho lembrar-me deste versículo em meio a uma celebração tão linda, mas logo fui dando conta do porque da lembrança. Ao rever as pessoas lembrei-me de falas em nossos relacionamentos e de inúmeras palavras desnecessárias e até totalmente inadequadas que em meio às nossas vidas foram ditas.

Passei então a pensar no que seriam palavras frívolas;

Palavras enganosas, ditas sem amor, destinadas a ferir, utilizadas com o propósito de me exaltar e rebaixar o meu próximo, palavras confusas, que separam amigos, que geram desconfianças, que maculam a imagem do meu próximo, que lisonjeiam, com o propósito de obter ganhos à custa de outros, palavras de traição, de desprezo, indiferença, de comentários inadequados, que descobrem a nudez do meu próximo, que geram desconfiança, desamor,  palavras de morte e maldição, de medo e desânimo, palavras sem sentido ou com sentido dúbio, lançando suspeitas onde elas não existiam, palavras que ferem, que humilham, que expõem o que deve ser mantido em secreto, palavras lançadas ao vento sem considerar as fraquezas e necessidades dos que ouvem, palavras duras que suscitam contendas, palavras que separam amigos, palavras impensadas, palavras cuidadosamente ensaiadas com o propósito de causar dano. Palavras que me protegem ferindo o meu próximo, palavras que jamais deveriam ter sido ditas, palavras que jamais foram ditas e assim omitiram o amor devido ao meu próximo,... penso que na verdade, toda a palavra que não edifica é frívola, assim com é frívolo aquele que tem a palavra que edifica e não a diz.

Enfim, uma infinidade de palavras mal utilizadas e omitidas, das quais, segundo o texto sagrado, prestaremos conta de cada uma delas...

Um sentimento de pesar e tristeza me ocorreu então, e junto um súplica por misericórdia e perdão, pois nem mesmo me lembro de quantas e quantas palavras frívolas já saíram dos meus lábios, e das quais sequer tive a percepção do dano que estavam causando, não podendo assim me redimir das mesmas. Como disse Isaias, sou homem de lábios impuros... toca Senhor meus lábios com as brasas do teu altar!

Ainda como disse Davi, “livra-me das faltas que me são ocultas”, sim, livra-me Senhor das faltas que não vejo em mim mesmo. 

Também Tiago nos diz, “se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão”... aperfeiçoa-me ó Senhor! 

Analisando os versículos anteriores e posteriores, vem algo óbvio mas que insistimos em  não nos dar conta, toda palavra dita e omitida tem sua origem em meu coração, assim as minhas palavras são o espelho de meu coração, ainda que eu não queira dar a conhecer o meu coração, as minhas palavras demonstram claramente que tipo de tesouro há nele, e por fim são nossas próprias palavras que nos justificarão ou nos condenarão!!! 

Assim o que determinará o que há dentro de meu eu verdadeiro, não é o que penso a meu respeito, mas aquilo que é demonstrado como fruto de meu coração, por minhas palavras. O homem é o que ele pensa, e não o que ele pensa que é!!! 

Que as palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença ó Senhor!!!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

LIDERANÇA



 Definição de liderança.

- “liderar é a capacidade de influenciar pessoas por meio da inspiração, gerada por uma paixão, motivado por uma visão, nascida de uma convicção, produzida por um propósito.”

Para se tornar líder:

1- Comece descobrindo o propósito. Para que existo???

2- Convicção: crença profunda em sua significância, você crê que nasceu para o que está fazendo? Ou é apenas um emprego? Líderes não tem um emprego, uma carreira, a vida é a carreira. Líderes não tem escolhas, se vc pode se aposentar do que está fazendo, você não encontrou um propósito.

3- Visão; quando tem uma convicção, adquire imagens, visão é ver o destino em imagens, ver o propósito em cores, líderes têm uma imagem de suas convicções, acreditam mais em sua visão do que no presente.

4- Paixão ; para ser líder deve ter paixão, líderes são dirigidos por paixão. Paixão é um desejo mais forte que a morte. Você nunca vai viver, até morrer. Líderes são pessoas que já morreram. Gerentes trabalham para a Cia, líderes para um propósito. Gerente são contratados, líderes são designados. Verdadeiros líderes não buscam poder, não buscam votos , mas visão. Visão é a chave da liderança.

5- Inspiração; é a força da liderança, se você não consegue inspirar pessoas, você tem que manipular as pessoas. Verdadeira liderança nunca manipula, ela inspira. Inspirar as pessoas significa trazer vida dentro delas. Se você quer boa vida, não seja um líder. Quando você inspira pessoas, você não precisa controlá-las, não precisa oprimi-las. Liderança atrai as pessoas.

6- Influência; a forma mais pura de liderança é a influência por meio da inspiração. Inspiração é o oposto da intimidação. Inspiração é um depósito divino = Deus soprando. Inspirar = soprar o sopro divino nas pessoas. Aprenda de outros, mas nunca se torne um deles. Seja você mesmo. Você nunca será totalmente aceito, até que seja completamente rejeitado.


Transcrito de uma palestra de Myles Munroe "o propósito da liderança servidora".

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

O HOMEM E A MULHER



O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono.
Para a mulher, um altar.
O trono exalta.
O altar santifica.
O homem é o cérebro; a mulher é o coração.
O cérebro fabrica a luz; o coração produz Amor.
A luz fecunda.
O Amor ressuscita.
O homem é forte pela razão.
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence.
As lágrimas comovem.
O homem é capaz de todos os heroísmos.
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece.
O martírio sublima.
O homem tem a supremacia.
A mulher, a preferência.
A supremacia significa a força.
A preferência representa o direito.
O homem é um gênio; a mulher, um anjo.
O gênio é imensurável; o anjo, indefinível.
Contempla-se o infinito.
Admira-se o inefável.
A aspiração do homem é a suprema glória.
A aspiração da mulher é a virtude extrema.
A glória faz tudo grande.
A virtude faz tudo divino.
O homem é um código.
A mulher, um evangelho.
O código corrige.
O evangelho aperfeiçoa.
O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter no crânio uma larva.
Sonhar é ter na fronte uma auréola.
O homem é um oceano.
A mulher um lago.
O oceano tem a pérola que adorna.
O lago, a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa.
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço.
Cantar é conquistar a alma.
O homem é um templo.
A mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos.
Ante o sacrário nos ajoelhamos.
Enfim, o homem está colocado onde termina a terra.
E a mulher onde começa o céu.

Victor Hugo (1802 - 1885)

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

causa e efeito



1Pedro

2.1   Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências,
2.2   desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação,
2.3   se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso.

Interessante notar neste texto a afirmação de Pedro, “se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso”, ou seja as direções anteriores foram dadas mediante esta condição, afinal nós seres humanos, agimos por este princípio, só abandonamos antigos hábitos e valores, se compreendemos que há algo melhor a viver!!!

É infrutífera a tentativa de produzir os efeitos, se não tivermos a causa correta. Assim só faz sentido a alguém despojar-se da maldade, dolo, de hipocrisias, invejas, de toda sorte de maledicências e desejar ardentemente o genuíno leite espiritual, se este alguém já experimentou que o Senhor é bom, pois até isto acontecer, ele vive segundo o seu entendimento de que o que importa é levar vantagem em tudo, assim ele crê e vive em função disto, afinal ele foi instruído desta forma e olhando ao seu redor o que ele vê é isto.

Ora, experimentar pessoalmente que o Senhor é bom faz toda a diferença, pois isto estabelece uma nova ordem de valores na vida de uma pessoa, os olhos do entendimento são abertos para uma nova dimensão, podemos ver que existe um novo modo de viver, o apostolo Paulo disse “ o que para mim era lucro, agora considero como perda” e explica o porquê, “por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo”, então experimentar a bondade do Senhor é fundamental.

domingo, 3 de agosto de 2014

REALIZANDO SEU PROPÓSITO








Alguma vez seu carro novo quebrou no meio do trânsito? Você sai e dá um chute nos pneus. Você o amaldiçoou porque ele não cumpriu seu propósito. Ele era novo e bem polido. Mas não estava funcionando. O que fez com que você se irritasse com o carro? Simples, o propósito do carro era transportá-lo, levá-lo de um lugar a outro, mas agora já não pode levá-lo a lugar algum. Não importa a bela aparência do carro, ela não era própria; o carro não estava cumprindo seu propósito.

Muitos homens são como aquele carro. Estão parados no meio do trânsito e nem se dão conta disso. Passam sua vida fazendo coisas que parecem boas, mas não conhecem a Deus ou conhecem muito pouco sobre Ele e seus caminhos.

Temos de compreender que boas obras não substituem a retidão. Conhecer e cumprir os propósitos de Deus é a única maneira de saber o que é certo. Lembre-se do novo verso fundamental: "Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá."(Provérbios 19:21) Uma das razões da importância desse verso é que muita gente pensa em fazer boas obras como que comprando uma passagem para o céu. É muito perigoso tentar subornar a Deus. Deus não se impressiona com todas as coisas boas que fazemos. Ele espera que façamos aquilo que Ele nos manda em primeiro lugar.

Descobrir nosso propósito nos habilita a parar de gastar nossa vida e começar a cumprir nosso potencial. No entanto, devemos tomar cuidado para não nos desviar no caminho. A melhor maneira de destruir alguém é distraindo alguém de seu verdadeiro propósito na vida. Às vezes, as pessoas farão isso sem intenção, como vimos no caso de Pedro e Jesus. No entanto, intencionalmente ou não, devemos aprender a permanecer firmes no propósito para o qual fomos criados.

Trecho do livro "Entendendo o Propósito e o Poder dos Homens" de Myles Munroe

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O tesouro e o coração


O tesouro e o coração

O que é um tesouro??? Qualquer ser ou coisa que para nós tenha um especial valor, incluindo pessoas, objetos, ideias, ideais, sentimentos, entendimentos, relacionamentos etc,etc, etc...

Como saberei qual é o meu tesouro??? Quando alguma situação colocá-lo em ameaça. A possibilidade real ou imaginária de que algo possa acontecer ao meu tesouro, desencadeará em meu ser uma  reação em cadeia, colocando-me em estado de alerta para proteger o meu tesouro, e farei qualquer esforço necessária para isto. Também tem um outro jeito, é só saber onde está o meu coração, lá estará o meu tesouro. O meu coração (atenção, cuidado, interesse, paixão, desejo...) sempre estará junto do meu tesouro, afinal o que dá valor ao tesouro é o meu coração, e não faz nenhum sentido ele valorizar algo e não estar apegado a isto.

Li num livro de Brennan Manning a história de um monge trapista que fizera um voto de pobreza e todos os seu pertences se resumiam a uma cumbuca de barro da qual ele se utilizava para comer e beber, todos se admiravam do desprendimento e renúncia deste homem. Certa ocasião em um evento a cumbuca caiu e se quebrou, este homem ficou profundamente abalado e reagiu com muita intensidade ao fato, os demais presentes se admiraram e ponderaram, era apenas uma cumbuca de barro sem nenhum valor!!! O monge reagiu irado dizendo, vocês não estão entendendo, esta cumbuca era TUDO, TUDO, o que eu tinha!!!

O valor do tesouro para alguém é algo absolutamente pessoal, como no livro o Pequeno Príncipe o escritor relata um planeta em que havia apenas um homem e uma rosa, da qual o homem cuidava com extremo zelo e admirava profundamente a sua rosa, o pequeno príncipe diz ao homem que perguntara o porque a rosa era tão importante para si: “foi o tempo que você gastou com a sua rosa, que a fez tão importante para você”...

Não existe nenhuma possibilidade de mudança na vida de uma pessoa sem que haja uma mudança no seu tesouro, o tesouro determina toda a existência da pessoa, tudo estará necessariamente girando em torno dele, Paulo dizia “ o que para mim era lucro, agora considero perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo”, ou seja tudo aquilo que era tão atraente para Paulo, agora perde seu brilho diante de tamanha glória que ele encontrara. Toda a mudança ocorrida na vida de Paulo é decorrência desta troca de tesouro, agora seu coração encontrara um novo objeto de valor, e tão grande era este valor para ele, que prontamente ele deixa todo o seu pretenso tesouro anterior por um novo tesouro, pelo qual ele desgastou toda a sua vida sem titubear!!!


Na verdade o que Jesus nos diz é que nosso coração sempre seguirá o nosso tesouro, então se quisermos ter um novo coração, tratemos de encontrar um novo tesouro, superior aos anteriores, assim que encontrarmos tal preciosidade, não teremos qualquer dificuldade em pagar o preço necessário por ela. Por isto não fique tão preocupado onde ou como está o teu coração, ele está bem ali, onde está o teu tesouro e ele estará em tudo idêntico ao teu tesouro, nem mais nem menos, pois se o nosso coração está onde está o nosso tesouro, a cada dia seremos mais e mais parecidos com o tesouro. E o teu tesouro onde está???

terça-feira, 8 de julho de 2014

o coração e as coisas.


Quanto maior o vazio no coração de uma pessoa, maior a sua dependência do exterior. Também poderia dizer, quanto maior o apego às coisas, maior a angustia do coração e vice versa. Podemos ver que há uma relação direta entre a necessidade de obter coisas, a contínua necessidade de cuidar da aparência, a busca por aprovação, e a falta de conteúdo no coração. Como já disse alguém, rico não é quem tem tudo, mas quem necessita de pouco, outra pessoa disse que alguém era tão pobre, mas tão pobre que tudo o que tinha era dinheiro. Quanto mais satisfeito está o coração, menos o brilho das coisas o seduzirá. Se vemos alguma pessoa excessivamente preocupada com sua aparência e ou suas posses, podemos ter certeza de que ali está um coração em profunda agonia, sem desfrutar do descanso e de paz em seu íntimo. Triste dor sem fim a de esperar por solução em coisas e pessoas fora de si mesmo, isto é o caminho da depressão, da angustia, da ansiedade. Buscando mudar o exterior jamais chegaremos a uma mudança da realidade pessoal, afinal os outros não tem nenhuma obrigação de mudar para que eu fique bem, estabelecemos assim uma relação conflituosa em nossa existência, distribuindo culpas inexistentes e expectativas que não serão supridas. Onde está o teu tesouro ali estará o teu coração. 
Um coração insatisfeito buscará compensações, vemos então uma coisa muito triste, o ser humano trabalha desenfreadamente para ter coisas de que não necessita, muitas vezes com um recurso que não tem, para impressionar pessoas de quem não gosta, e ainda pensa que está abafando... seria um caminho muitíssimo mais curto dedicar-se a cuidar do próprio coração adequadamente e poupar tanto esforço inútil. A mídia sabe desta neura toda e investe pesado em nos mostrar como seríamos mais felizes e realizados se tivéssemos isto ou aquilo, se fossemos a este ou àquele lugar, se comessemos determinado tipo de comida, etc. Sempre realçando situações que ainda não temos em mãos nos causando a contínua sensação de “está faltando algo à minha vida”, e de fato está, só que o que está faltando não se compra com dinheiro.
Tenho observado que toda a compulsão por compras, comida, bebida, cuidado excessivo da aparência, manutenção de status, reconhecimento pessoal e etc. tem sua origem em corações insatisfeitos, é a busca inútil por prazer e satisfação verdadeira e permanente em coisas que são transitórias. Isto não pode dar certo, como coisas temporais poderão assegurar satisfação perene??? 
Veja se não é assim que acontece; quando uma situação fica ruim em meu íntimo, surge um impulso por comprar, passear, comer, beber, se ao menos eu tivesse isto ou aquilo, estaria mais satisfeito, mais realizado... vou às compras para desopilar... e tadinho do orçamento doméstico.
Eu sou o que sou, não sou o que uso ou o que tenho, nem mesmo o que faço ou que pensam e dizem a meu respeito, é certo que o valor que atribuo ao que tenho, uso, faço, à minha reputação, dizem muito à respeito do que sou, mas o que determina meu ser é o que está dentro, não o que está fora. Este é um poço sem fundo, querer satisfação e realização no ter e no fazer, e não no ser. Mais duro ainda, é que tudo isto pode ser igualmente enganoso e danoso quando revestido de uma capa de “piedade carnal”, uma aparência de piedade,mas no fundo é o velho homem querendo dar o ar de sua graça  buscando satisfação e reconhecimento, travestido de uma forma piedosa mas negando o poder de Deus. Fazendo inúmeras coisas “piedosas” para ser reconhecido.
Arrependimento (mudança de entendimento) é a única solução, avaliemos nossas crenças corajosamente e vamos dar os nomes verdadeiros ao que ali encontrarmos, daí encontraremos a força necessária para uma completa mudança em nossa vida. Enquanto insistirmos em mascarar as verdadeiras fontes de nossa vida, não teremos escapatória. Somente a verdade nos libertará.
Mostra-me a tua fé sem obras, e com minhas obras te mostrarei a minha fé. Tg 3;18.


segunda-feira, 7 de julho de 2014

Vítimas ou protagonistas???

Vítimas ou protagonistas???
Tolice sem tamanho é atribuir a outros ou às circunstâncias a causa de meu mal estar, e de minhas misérias pessoais, agindo desta maneira posamos de vítimas de tudo e de todos e atribuímos a responsabilidade e a solução de nossa vida a outros, esta atitude nos impede de qualquer ação prática, pois coloca na responsabilidade de terceiros a minha possibilidade de cura, e diga-se de passagem, a maioria das pessoas se importa muito pouco com o nosso drama, este caminho nos levará a nada útil, apenas a sofrimento inútil e desnecessário, e ainda por cima dará um poder enorme às pessoas e às circunstâncias sobre nossas vidas!!! A chave é assumirmos a responsabilidade de nossas ações e reações e governá-las, afim de que contribuam  para a solução de  nossos problemas. Quando assumo a minha parte, estou abrindo uma porta enorme à solução do conflito pois não dependo de mais ninguém, mas apenas de mim. Torno-me assim o protagonista de minha vida deixando de ser uma pobre vítima da insensibilidade e crueldade das pessoas que só pensam em si mesmas. Deixemos o papel de vítimas e assumamos o papel de protagonistas da história, conduzindo assim ao final desejado...
Pode ser que alguém ache este discurso um tanto egocêntrico, mas entendo que é fortemente ensinado no evangelho. Em nenhum momento, seja nos evangelhos, ou nas epístolas encontraremos algum incentivo ou aprovação, nem mesmo tolerância para com esta atitude horrorosa de me portar com frágil vítima. Isto jamais se passou na vida do Cristo e nem dos apóstolos após o pentecostes.
Por exemplo vejamos o que nos dizem algumas passagens do evangelho: se alguém te obrigar a andar uma milha, vai duas com ele; se te ferirem na face direita, volta a esquerda; se quiserem tirar a túnica, deixa a capa; perdoe a quem te ofender; se alguém pecou, vá até ele; se lembrar que alguém tem algo contra você, deixa tua oferta e vá até ele; ama até o teu inimigo; ore até por quem te persegue; fale bem (abençoe) de quem fala mal de você (te amaldiçoa); faça o bem  a quem te faz mal; brilhe a tua luz diante dos homens; vós sois o sal da terra; sede perfeitos como perfeito é o vosso Pai; pague o mal com o bem; ame ao teu próximo;  e vários outros... podemos ver nestes ensinos que a ação e a reação é do discípulo, não importa o que aconteça, a minha reação é de minha exclusiva responsabilidade, não depende da forma que fui tratado, não há vítimas. Entender e agir de acordo com isto me deixa de posse de inúmeras alternativas de ação e me livra da prostração e da inércia. Deixo a passividade e passo a ser o agente de mudanças. Torno-me assim livre de todo o domínio exterior e posso ser guiado pelo Espírito que habita em mim.
Ah! quando finalmente entendermos e vivermos estas benditas verdades desfrutaremos daquilo que o Senhor nos ensinou, “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Sim seremos livres de nós mesmos, de nossos ressentimentos, do coitadinho, do pobrezinho, do terrível sentimento de vítimas.
Levante-se e resplandeça, foi dado a você todo o necessário para ser o protagonista de sua vida, basta o tempo em que andamos subjugados pela tirania deste sentimento.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

MENSAGEM E MENSAGEIROS



Por mais importante que seja a mensagem, o espírito do mensageiro afeta irremediavelmente a mesma. 

Tão ou mais importante que a mensagem em si mesma, é a maneira que ela é transmitida, na verdade a mensagem e o mensageiro deveriam se fundir em um só para que se alcance a plenitude do que se quer transmitir, podemos ler um texto magistralmente, com todas as técnicas de representação disponíveis, mas se não estivermos tomados pelo espírito da mensagem, seremos como sinos soando, quanto maiores e mais ocos, maior o barulho, mas não tem conteúdo, passado o momento, as impressões que tivemos se vão com ele...

Por isto não adianta repetirmos como papagaios a fala de outros, enquanto esta não for a nossa própria fala, aquilo que nos lábios de outro é pura poesia e música, nos lábios de alguém que ainda não foi tomado pela mensagem, se torna enfadonho , sem vida, parece uma representação, podendo até mesmo distorcer completamente o sentido da mensagem original. 

Ao terminar a sua fala no monte, as multidões se maravilharam com Jesus, pois ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os escribas e fariseus, a mensagem e o mensageiro haviam se fundido, não podia haver separação, o verbo se fizera carne, a carne manifestava o verbo, sem separações, sem divisões, impossível ver um sem ver o outro.

Houve um tempo entre o povo de Israel em que os profetas roubavam a profecia uns dos  outros e diziam serem suas, nenhum problema em repetir a profecia, há muitas delas que são realmente divinas e quanto mais forem repetidas melhor para todos, mas a fonte necessita ser reconhecida.

Certa vez ouvi dizer que no passado  aquele que trazia uma mensagem da parte do rei, deveria ser capaz de expressar as emoções do rei ao dar a mensagem, certificando assim que o que fora dito seria entregue na mesma intensidade do momento em que fora ordenado. Afinal a ênfase dada no momento da fala altera totalmente a compreensão da mensagem.

Não estou aqui falando de técnicas de discursos e apresentações, digo da mensagem que é a própria vida do mensageiro, aquela que tomou o seu coração a tal ponto que o mensageiro já não pode fazer mais nada, senão abrir a sua boca e deixar que a mensagem flua, aliás não apenas a sua boca, mas todo o seu ser cooperará juntamente para a transmissão de tão importante mensagem.

Ah!!! que coisa boa é ouvir a mensagem daqueles que por ela estão tomados, pouco importa seu brilhantismo intelectual, mas ouvir o coração que bate ritmado com a mensagem entregue, afinal assim ouvimos muito mais que palavras, ouvimos a própria vida do mensageiro.
Somente a vida transmite vida, somente quem é livre pode libertar outros. Somente a mensagem que nos feriu e curou profundamente poderá ser curativa para a alma sedenta e aflita.

No muito falar não falta transgressão,assim nos diz o sábio, mas também nos diz outro sábio, se alguém sabe que deve fazer o bem e não faz, nisto está pecando... assim a tagarelice é um problema, mas reter a palavra que deve ser dita no tempo oportuno também o é.

A primeira frase de Paulo quando ilustra o que é o amor em ICo 13 poderia ser lida assim; “ainda que fosse o melhor dos palestrantes, com total domínio da arte de falar e me expressar em público, total domínio dos assuntos do céu e da terra, possuidor de eloquência inigualável, se não tiver amor, isto será apenas barulho, assim como o sino que só soa por que é oco, é muita aparência para nenhum conteúdo, sem proveito algum a não ser chamar a atenção para si mesmo.” A única mensagem digna de ser ouvida é o amor, e somente quem ama pode entregá-la com eficácia.

Ouvi certa vez que em um grande evento dois homens iriam ler o salmo 23, primeiro um jovem estudante, com toda sua inteligência e treinamento faz uma belíssima apresentação do salmo e recebe merecido aplauso, afinal fora uma grande apresentação, pouco depois um ancião encurvado pelo peso dos anos, faz a sua leitura do salmo, e como resultado a plateia fica emudecida e quebrantada, como se o Pastor estivesse vindo se encontrar com suas ovelhas. Perguntando ao jovem o que havia acontecido a sua resposta foi: eu conheço o salmo, ele conhece o pastor!!! 

Fato é que enquanto vivemos estamos deixando a nossa mensagem pela terra, boa ou má, viva ou enfadonha, certa ou errada, somos cartas vivas, mensagens ambulantes, será que a mensagem que estamos transmitindo, é de fato aquela que gostaríamos de estar transmitindo???  


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Chamados para fora.




Chamados para fora.

“Ver o mundo e os perigos que virão, ver por trás dos muros, chegar mais perto, encontrar o outro, este é o propósito da vida”.( do filme A vida secreta de Walter Mitt)

A frase acima é a frase que define a revista para a qual o personagem do filme trabalhava, cujo principal repórter era um aventureiro que se deslocava pelo mundo em  busca de inspiração para seus artigos e fotos.
O personagem principal do filme, exercia a função de preparar os negativos para a edição da revista, e o fazia com excelência. Porém em sua imaginação viajava pelos locais onde o fotografo fazia seu trabalho, sem jamais ter a coragem de sair de sua rotina e iniciar algo novo. Até que um dia por força de circunstâncias, toma uma decisão radical e sai à procura do repórter para encontrar um negativo. E vive a maior aventura de sua vida. (Quem quiser saber tudo veja o filme).

Pensando nestas coisas, lembrei-me que já por diversas vezes ouvi  que o significado da palavra “igreja” é , “chamados para fora”,  chamados para fora de quê???  Do sistema deste mundo, da inércia, da imobilidade, do conformismo, da acomodação, da mediocridade, da culpa, das trevas, da falsa segurança, dos valores deste século, da superficialidade, da iniquidade, da carnalidade, da falsidade, da ociosidade, de si mesmo, do egoísmo, do egocentrismo, do medo, da dúvida, da insegurança, das impagáveis dívidas emocionais, da inutilidade, da paralisia que assombra os que são governados por este mundo...

Sim fomos chamados para fora de tudo isto, e para que fomos chamados??? Para a Sua gloriosa luz!!! Sim fomos retirados das trevas e colocados no Reino do Filho do seu amor!!! E com que propósito??? Manifestar esta luz!!! Torná-la conhecida de todos os que estão nas trevas!!! Estender o Reino de Deus na terra!!! Sim fomos chamados para compormos o “esquadrão de resgate da criatura caída”, para olhar além das paredes e cercas e sair ao encontro dos outros, vivermos a mais fantástica de todas as aventuras; viver cada dia na presença e dependência do Deus vivo, enfrentar os perigos que forem necessários e viver em abundância!!!

Como diz Jhon Eldredge, todo homem precisa ter uma guerra para lutar, uma aventura para viver e uma donzela para resgatar!!! Sim e todos, ainda que não o saibam, saem em busca disto, infelizmente costumam buscar estas coisas nos lugares e com os motivos errados, embora o anseio básico seja correto e tenha sido dado por Deus...

O mestre disse: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” Jo 10, como será possível esta vida em abundância sem sermos chamados para fora??? Como encontrar esta vida enclausurados em medos, sofismas, e todo tipo de prisão em que metemos nossa alma??? Não, não é possível viver em abundância de vida sem romper estas cadeias que nos prendem e então sairmos em busca da verdadeira razão pela qual existimos: “que venha o teu reino”. Para isto é mister atender ao “chamado para fora”, ouvir a voz do bom pastor e seguí-lo.

 Sim todos fomos “chamados para fora”, saiamos então a ver os perigos do mundo, enxergar além das paredes (as de concreto e as mentais e emocionais), cheguemos mais perto e encontremos o outro, este é o nosso chamado, é aí que encontraremos propósito e realização, independente de quais sejam  nossas responsabilidades diárias, isto pode ocorrer dentro do dia a dia normal de casa, empresa, escola etc...

quarta-feira, 21 de maio de 2014

UMA BREVE MEDITAÇÃO EM RM 8



“Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isto fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado.
A fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós que não andamos segundo a carne , mas segundo o Espírito”.     Rm 8:3-4

“Aquele que não conheceu pecado,Deus o fez pecado por nós, para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus”.     II Co 5;21

Por mais que nos esforcemos na carne para observar a lei tudo que colheremos é cansaço e frustração, a verdade é que ainda que estejamos cheios de intenção e de boa vontade, não somos capazes de cumprir a lei e de agradar a Deus, de fato sem fé é impossível agradar à Deus...
Em nossa luta contínua por sermos aceitos e amados criamos um sistema mortífero chamado meritocracia, ou seja se formos bonzinhos receberemos recompensa, os mauzinhos serão punidos, coisas ruins não acontecerão a pessoas boas, coisas boas não acontecerão a pessoas más, e etc... aquele estereotipo alimentado tão bem por hollywood e seus melodramas onde o bom moço sempre se dá bem no final. Acontece que a vida real não é bem assim. Caminhamos assim numa eterna insegurança  será que sou amado ou não??? Que fazer para ser amado e aceito??? Qual o comportamento que devo adotar para que seja aprovado??? Errei, e agora???
Mesmo depois de quinhentos anos de reforma e de dois mil anos de evangelho continuamos nos esforçando para agradar a Deus, para termos méritos diante dEle.
O fato é que por obras ninguém jamais foi ou será justificado, pois o melhor de nossa justiça aos olhos de Deus é como trapo de imundícia, ou seja absorvente íntimo, somos incapazes de satisfazer o padrão Divino, cabe a nós corarmos de vergonha e prantearmos diante dEle.
Em nossa busca por méritos ficamos todo o tempo medindo, comparando, julgando, pois nos achamos dignos de qualquer coisa, ou pelo menos, mais dignos que os demais.Fazemos listas e mais listas de comportamentos e atitudes aceitáveis, tentamos tornar boa a nossa carne , que na verdade foi destinada à cruz. Desventurado homem que sou, quem me livrará desta morte??? Graças a Deus por Cristo Jesus....
Nossa vida por muitas vezes se desespera pois afinal somos casados com a lei e com o pecado, a lei avulta o pecado que há em mim e ela mesma é santa justa e boa, além de eterna. O casamento é um vínculo vitalício, então estamos ligados à lei enquanto vivermos, como resolver este problema??? A solução é que nós sejamos incluídos na morte e ressurreição de Cristo, assim morrendo nós a lei e o pecado ficam viúvos, e nós que já morremos estamos livres para nos casarmos novamente, agora com Cristo  e isto não é bigamia pois morremos de fato com Ele, nos tornamos participantes de Sua morte e também de sua ressurreição. ALELUIA!!!
Cristo morreu por nós quando ainda éramos pecadores, quem se animaria a morrer por um pecador????
Amados Deus de tal maneira nos amou que deu Seu único filho....
Não há nada que possamos fazer para sermos mais amados por Deus e nada que possamos fazer para sermos menos amados por Ele.
A aceitação é obra de Deus, não minha, jamais serei suficientemente bom para ser aceito.
Entendo que Deus nunca desejou que nos achegássemos a Ele por medo, por segundos interesses, não, o projeto é que nos acheguemos a Ele por que Ele nos amou primeiro e deseja ardentemente relacionar-se conosco, se não fosse por meio do Filho qualquer olhadela de Deus seria suficiente para destruir-nos, mas Ele nos enxerga por meio do Filho e assim somos incondicionalmente aceitos, amados, desejados, ainda que sejamos aos nossos olhos e aos olhos dos demais, andrajosos, maltrapilhos, trapalhões. Às vezes imagino Davi em nossas congregações, será que algum de nós o chamaria de homem segundo o coração de Deus e que serviu á sua geração???
Amados quem é que nos faz sobressair, o que temos que não tenhamos recebido???
Como nos apresentaremos diante dEle??? Com que méritos???
Se nós morremos para o pecado como poderemos retornar a viver nele??? Se já morremos para lei porque voltaremos a viver sob a lei, não manuseies isto, não toques naquilo, não coma aquilo outro??? Como poderemos viver satisfazendo a carne nós os que já morremos para ela??? Deus tenha misericórdia de nós.....
Ap 2;1-7. Nos primórdios da igreja havia uma igreja que certamente imaginamos como ideal em nossos dias, afinal ela era laboriosa, perseverante, não podia suportar homens maus, pôs à prova os que se declararam apóstolos sem o serem, suportou provas por causa do nome de Jesus e não esmoreceu, além disto odiava a obra dos nicolaítas. Só tinha um “pequeno” problema, abandonou o primeiro amor, e por isto foi seriamente advertida a se arrepender ou ficaria sem o candeeiro, sabemos que hoje não há testemunho cristão naquela região..... nossos melhores esforços são inadequados para produzir a vida de Deus na terra.
Como era eu quando fui achado por Jesus??? Onde estava??? Que fazia??? Amar-me-ia Deus mais então,do que agora??? Sou mais amado agora do que então???  
É impossível cumprir a Palavra senão por meio de Cristo em nós....
Sejamos eternamente grato por tão grande salvação....

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Submissão da mulher: princípio bíblico ou manipulação machista???







Submissão da mulher: princípio bíblico ou manipulação machista???

Sei que este é um tema polêmico e não pretendo ter a reposta definitiva, mas quero expor alguns pensamentos que tem me ocorrido, no passar dos anos e observando as circunstâncias.
Normalmente temos observado a história do homem à partir de Gn 3, quando ocorreu a queda, até mesmo porque antes disto temos “apenas” dois capítulos escritos, narrando a história da criação. Nos últimos tempos ouvi e li algumas observações sobre estes dois capítulos que considero bastante esclarecedoras.
Normalmente quando desejo conhecer melhor um assunto, pessoa ou produto, busco conhecer suas origens, qual foi a intenção primeira para que foi criado, qual o propósito original, isto me deixou pensativo, se no geral temos esta preocupação, por que insistimos em olhar o homem após a queda, sem considerar o projeto inicial??? 
Até pregamos que a morte do Cristo na cruz veio nos levar de volta ao ponto de onde nunca deveríamos ter caído, porém a nossa prática diária, não leva isto em consideração e continuamos agindo como seres decaídos, pecadores buscando se santificar, ora se de fato a cruz nos restaura a imagem e semelhança de Deus, agora nossa situação se inverteu, somos santos lutando contra o pecado!!!
Voltemos ao relato de Gênesis
1.26   Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.
________________________________________
1.27   Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
________________________________________
1.28   E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.
________________________________________
1.29   E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.
________________________________________
1.30   E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez.
Após o magnífico relato da criação de todas as coisas na terra, o escritor mostra a forma maravilhosa pela qual o Criador faz sua obra prima, a raça humana, observe o verso 27, homem e mulher os criou, ora isto mostra que no momento da criação o propósito não era o de criar um gênero (macho, fêmea), mas uma espécie, a espécie humana, portadora da imagem e semelhança de Deus, não há aqui neste relato qualquer distinção de função e valor para homem e mulher, a ambos foi dada a imagem, o poder a autoridade e a tarefa, não há neste verso nenhuma referência a posição e função, homem e mulher foram criados em igualdade de condições, ambos com livre acesso ao Criador e portadores de Sua imagem e semelhança. E resultado de tudo agradou ao Senhor, “viu Deus que tudo era muito bom”...
Interessante demais notar o verso 28, “dominai sobre as aves do céu, os peixes do mar, os animais que rastejam sobre a terra”... primeiro a ordem foi dada à espécie humana e não ao macho da espécie, segundo, o domínio é sobre aves, peixes, animais, nenhuma referência a dominar sobre outro ser de sua própria espécie, tampouco exercer domínio sobre Eva!!! Preste atenção, não é dado domínio a um homem sobre outro homem (homem = raça humana). Tão pouco vemos aqui qualquer ordem ou permissão de destruir a terra, mas de sujeitá-la, lembremos que esta ordem foi dada a um ser que ainda não conhecia o pecado.
No capítulo 2, o escritor descreve com mais detalhes, como isto tudo se deu, mostrando o cuidado e atenção dada pelo Criador à sua obra prima, Ele pega o pó da terra e molda o homem, depois sopra o fôlego de vida sobre ele, o homem então passa a ser alma vivente. Quando descreve a formação de Eva, o texto nos diz que ela foi desejada por Adão, quem sabe era exatamente este o propósito de Deus, que o Adão suspirasse por uma adjutora à sua exata semelhança, não superior e nem inferior, afinal esta é osso de meus ossos e carne de minha carne, ele suspira, não há aqui qualquer referência a primeiro e segundo, maior e menor, mais e menos, etc...
No correr do capítulo 3 é descrito o desastre, Eva dá ouvidos à conversa da serpente e atraída pela cobiça, decide provar do fruto  e o dá a Adão, interessante notar que a isca foi para que Eva fosse “como o altíssimo”, mas isto ela já o era. Lembrem-se, à sua imagem os criou... após isto as coisas mudaram radicalmente no trato de Deus com a humanidade, veremos um pouco à frente.
Onde estava Adão nesta hora??? Muito provavelmente, não estava muito longe, e o que ele fez??? Nada. Eva ainda tem a seu favor o fato de ter sido enganada, mas Adão foi incapaz de intervir e impedir que o fato se consumasse, nem um grito de desespero, Eva não coma!!! Afaste-se deste bicho, ele está te enganando!!! Nem um sinal de Adão, ele  se omitiu....
Aqui começa o drama de Adão e Eva, pela primeira vez Adão coloca Eva acima de seu relacionamento com Deus, isto desencadeia uma série de problemas, agora Adão para se sentir validado como homem, passa a depender de Eva e quando faz isto ele perde sua identidade. Cada vez que um homem vai à mulher em busca de validação, ele está destruindo sua identidade e se tornando refém de Eva. Cada vez que ele interrompe este processo e busca em Deus a sua validação, ele está refazendo sua identidade original e mais apto a ser o que foi planejado para que fosse.
Na viração do dia Deus vem conversar com sua criatura, como de hábito, mas desta vez ela havia se escondido, sentiram vergonha pois estavam nus. Deus então diz lhes as consequências de seus atos, dentre eles, diz à Eva “o teu desejo será para o teu marido”, por muito tempo li isto mais ou menos assim: Eva, você fez o que não devia, agora vou te dar um castigo para você nunca se esquecer, já que você quis algo além de mim, agora você terá de agradar ao seu esposo em tudo e sem reclamar, para ver se você aprende alguma coisa, e vi inúmeros homens se valerem disto para oprimirem suas esposas... que tolice!!! 
Hoje me parece muito mais sensato pensar assim: Eva, você tinha tudo de que necessitava para viver plenamente em sua comunhão comigo, inclusive, um esposo, seu semelhante, com quem desfrutar desta experiência, agora, por tua escolha, você declarou que Eu não sou suficiente, então, você terá uma nova ocupação, o desejo mais íntimo do teu coração estará dividido e você desejará ser aprovada e amada por seu marido, eu quisera te poupar das dores que isto pode causar, mas tua escolha te levou a isto... o desejo de Eva que era exclusivamente para Aba, agora tem novo destino, Adão, e um Adão decaído...
3.26   Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus;
________________________________________
3.27   porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes.
________________________________________
3.28   Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.
________________________________________
3.29   E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa.
Se fomos revestidos de Cristo, voltamos a ser imagem e semelhança de Deus...

Necessário se faz entender um pouco mais sobre submissão, submeter-se é um ato voluntário nascido do fato de considerarmos cada um o outro superior à si mesmo, ou seja colocamos os outros em lugar de mais importância do que nós mesmos, isto nada mais é do que a aplicação prática do amor de Deus em nossas vidas. Submissão não tem nada à ver com subserviência, subjugo, escravidão etc... de posse do entendimento de Deus do que é a submissão, eu me coloco neste lugar. Como dizia Lutero, o cristão é o mais livre de todos os senhores e não está sujeito a ninguém, o cristão é o mais humilde de todos os servos e está sujeito à todos... o amor à Deus e ao meu próximo, me faz submisso. Neste sentido, cada vez que deixo de lado meus interesses e priorizo os de minha esposa, filhos, amigos, inimigos, etc... estou me sujeitando a eles e cumprindo o que Paulo ensina em Ef.4, submetei-vos uns aos outros!!! É os maridos também devem se submeter a suas esposas e filhos, ou estes estão em alguma outra categoria que não “outros”??? Posso afirmar por experiência própria que este tipo de submissão em nada prejudica o exercício do ministério do “cabeça da casa”, não compromete o ensino e a ordem na casa de Deus, mas coopera para a existência de mulheres mais expressivas, verdadeiras adjutoras, filhos mais seguros, menos exigentes, que tem a liberdade de seguir o seu caminho com Deus sem se perder na sombra de seu pai, que muitas vezes pensa e age como um “macho alfa”, o que é muito bom para lobos, mas de forma alguma é a maneira bíblica de exercer governo e autoridade.
Certa vez ouvi de um irmão, “não existe mulher rebelde, existe mulher mal governada”... observe que em Ef 5 no mesmo texto Paulo fala da submissão da mulher e do amor do homem, sinceramente acredito ser muito difícil que a esposa de um homem que a ama como Cristo amou a Igreja (literalmente) consiga se manter rebelde por muito tempo, ele vera com muita facilidade que é melhor o caminho da submissão do que o do confronto, normalmente o que tenho visto é maridos estressados com o assunto da masculinidade, inseguros de seu papel na vida, de sua conformação à imagem de Cristo se comportarem como “galos de briga” e em pé de guerra, prontos para debelar qualquer indício de “golpe de estado”, usando para isto as mesmas armas dos ditadores; intimidação, força desproporcional, propaganda negativa, chantagem e até pancadas mesmo, em casos extremos, amigos e amigas nada disto é vontade de Deus, e tampouco necessário, há um caminho sobremodo excelente...em minha trajetória tenho percebido que quanto maior a autoridade legítima de alguém, menos necessidade ele tem de ser visto ou notado, sua influência é percebida pelo estímulo que traz às pessoas para darem o seu melhor, Provérbios de Salomão diz que a esposa é a coroa do marido, ou seja quer saber quem um homem é de fato, veja como é sua esposa. Tenho por certo de que muita “rebeldia” feminina, na verdade é um grito de socorro por atenção e uma tentativa de se defender das contínuas grosserias e maus tratos de seus maridos, até um animal irracional, por mais dócil que seja em seu normal, quando acuado em um canto sem saída, pode se tornar extremamente agressivo ou deprimido. Não é diferente com os humanos, trate bem sua esposa, você só tem à ganhar.
O relacionamento do casamento foi dado por Deus não como uma forma de dominação do macho sobre a fêmea, mas como uma forma inigualável de relacionamento onde um mais um é muito mais que dois. É uma nova unidade, em todos os sentidos, maior do que a soma inicial. Creio firmemente que o casamento e a família gerada a partir daí é o lugar projetado no coração de Deus para refletir a glória do relacionamento da trindade, onde Pai, Filho e Espírito vivem em plena comunhão e harmonia, sem disputas, sem necessidades de um prevalecer sobre o outro, em plena paz!!! Queridos a união matrimonial tem o propósito de transmitir a Glória de Deus na terra, jamais de perpetuar domínio e controle de um ser sobre o outro, homem e mulher se completam, “melhor é serem dois do que um”... ao colocar dois seres tão diferentes e tão semelhantes juntos, Deus desejava que um fosse o suporte do outro e que ambos cumprissem plenamente o propósito de Deus em suas vidas, com a cooperação do outro, jamais às custas do outro.
Muitas vezes em nossa infantilidade masculina, confundimos firmeza com dureza, sim, espera-se de um homem maduro que ele seja firme, estável, confiável, inabalável, alguém em que se pode confiar, um suporte, coluna, que não se deixa levar pelas correntes da vida, isto é altamente desejável e não tem nada à ver com dureza, ser duro significa ser áspero, rude, bruto, intolerante, arrogante, incompassível... isto em nada reflete o caráter do Cristo!!! Ou seja não há nenhuma correlação entre dureza e firmeza, pelo contrário é possível ser muito duro e instável ao mesmo tempo. Os efeitos da dureza na vida de um pai de família são extremamente danosos e podem ser sentidos mesmo gerações á frente, as feridas causadas são de difícil cicatrização e custarão um alto preço, abandonemos isto enquanto há tempo.
Outra confusão é a que fazemos com as palavras terno (brando) e fraco. Ternura tem à ver com afetuosidade, brandura, suavidade,ser agradável, falar em tom ameno. Fraqueza por sua vez nos remete ao medo, insegurança, incapacidade, vacilante, assim sendo, é possível sermos firmes como uma rocha e ternos como um cordeiro ao mesmo tempo. Também podemos ser extremamente duros e esta dureza só mostrará o tamanho de nossa fraqueza!!! Sim homens o desejável é que todos sejamos firmes e ternos!!!
Alguns versículos para esclarecerem estes dois últimos parágrafos.

Gálatas
6 - 1   Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.
IITimóteo
2 - 24   Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente
Provérbios
16 - 24   Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina para o corpo.
Cantares
5 - 16   O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal, o meu esposo, ó filhas de Jerusalém.
Provérbios
16 - 21   O sábio de coração é chamado prudente, e a doçura no falar aumenta o saber. 
Provérbios
27 - 9   Como o óleo e o perfume alegram o coração, assim, o amigo encontra doçura no conselho cordial.
Provérbios
15 - 1   A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
Eclesiastes
8 - 1   Quem é como o sábio? E quem sabe a interpretação das coisas? A sabedoria do homem faz reluzir o seu rosto, e muda-se a dureza da sua face.
Ezequiel
34 - 4   A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza.
Colossenses
3 - 12   Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.
Isaías
63 - 15   Atenta do céu e olha da tua santa e gloriosa habitação. Onde estão o teu zelo e as tuas obras poderosas? A ternura do teu coração e as tuas misericórdias se detêm para comigo!
A aplicação destes princípios simples pode revolucionar a nossa vida...
Indico a todos que utilizem o texto de ICo 13 como um guia para os relacionamentos em sua vida, faça uma experiência; durante três meses leia e medite neste texto com toda a sua família, faça como se fosse um remédio a ser tomado três vezes ao dia, à medida em que for se familiarizando com o texto aplique-o ao seu dia a dia, se fizeres isto com fidelidade e suplicando ao Espírito Santo que faça deste o teu caminho, te afirmo, jamais a tua casa será a mesma.
Em nenhum dos quatro evangelhos vemos qualquer referência de Jesus à mulher como tendo um papel secundário ou de menor importância, Ele era servido por elas, Maria se assentou a seus pés para ouvir, e foi elogiada por isto, falou com uma mulher samaritana, numa época em que isto era inadmissível!!! Julgou a causa de uma mulher adúltera, permitiu que uma mulher ungisse seus pé com perfume caro, atendeu ao pedido de Marta e ressuscitou a Lázaro, as mulheres foram as primeiras a ver o túmulo vazio, ou seja o Mestre, ao contrário da cultura dominante, não fez distinção de valor das pessoas por serem homens ou mulheres.
Fica ainda a questão das orientações de Paulo à participação das mulheres na igreja, a mulher aprenda em silêncio, não permito que a mulher ensine ao marido, que a mulher use o véu (interessante que homens que defendem com unhas e dentes o silêncio das mulheres não exijam o uso de véu...), sim creio que estas são palavras de Deus como ademais toda a escritura e faremos muito bem em atendê-las, o que me causa profunda rejeição e mesmo dor em meu coração é ver homens inseguros e medrosos, oprimirem suas mulheres exigindo respeito, submissão, silêncio, comportamento adequado, oprimindo suas esposas ao ponto de deixá-las como verdadeiras mortas, vivas, sem expressão. Homens tolos que com seu machismo travestido de espiritualidade, abusam de sua autoridade como cabeças da casa  e se arvoram do alto de suas pobres compreensões e certezas se jactando de que em suas casas quem manda são eles. Que pobreza de espírito e compreensão, não percebem tais homens que estão enganados na origem de suas intenções, estão na realidade usurpando uma posição que não lhes foi dada, oprimindo suas casas, jogando contra sí mesmos, fazendo um plantio do qual em algum momento os frutos aparecerão, e creia-me não serão bons frutos. Um ser humano acuado em algum momento se revoltará e o dano será grande. Senhores estes homens descritos acima estão servindo a seus próprios egos e não à Cristo, ser cabeça da família não significa em hipótese alguma se tornar um tirano egocêntrico que se exaspera a cada vez que seu “reino” pessoal é pretensamente ameaçado pela megera indomada com a qual se casou. Aliás homens que pensam assim jamais deveriam ter se casado, tal é o dano que trazem a suas casas. Arrependei-vos é a única palavra cabível em tais casos. Chega de abuso espiritual.
Ó homens tolos que em sua estupidez tem transformado suas ajudadoras em seres hostis, desmotivadas, ressentidas, amarguradas, tristes, desgostosas da vida, amedrontadas, como obter real ajuda e cooperação de uma mulher intimidada??? Deus vos deu às vossas esposas para resgatá-las, livrá-las das garras do inimigo e vocês as fazem novamente prisioneiras de seus caprichos, inseguranças, necessidade de aprovação??? Tua esposa foi feita para a glória de Deus e te foi dada como companheira idônea (à tua altura) não como serva comprada no mercado de escravos para satisfazer teus desejos e apetites. O homem que reclama de sua esposa está reclamando de si mesmo, afinal foi dada ao homem a incumbência de apresentar a esposa a si mesmo santa e sem defeito, conforme Ef 5  e isto se faz pela palavra de Deus e se entregando pela esposa.
Liberte-se de suas neuras e amarras, ninguém quer tomar seu lugar na terra, teu inimigo não é tua esposa, ele tem nome, e acredite, não é o nome de tua esposa, após ser liberto, liberte tua esposa de todo jugo e domínio indevidos, mude suas atitudes e juntos libertem seus filhos de tuas expectativas carnais de sucesso, de prosperidade. Faça as pessoas livres e elas te seguirão, inspire sua casa por meio de sua vida piedosa, conduza os seus com firmeza e com ternura, foi para isto que você foi feito, reflita em seus atos o governo de Cristo, não o dos tiranos desta terra, o primeiro no meio de nós é aquele que serve, seja o primeiro com as bases certas, sua presença e autoridade deve ser amada e desejada, e não temida e ressentida.
Nós declaramos com nossas bocas que aqueles que estão em Cristo são nova criatura, ajamos de acordo com isto, creiamos que a esposa de cada um de nós foi transformada por este Cristo e que agora tem um novo coração. Assim o desejo íntimo deste novo coração é de acertar o passo com o mestre.  
O exercício de autoridade sem estar sujeito à autoridade de Cristo é usurpação, usurpar é o mesmo que utilizar algo que não ter pertence para obter vantagens pessoais, valer-se do nome de outro para fazer o que te interessa,falsidade ideológica, isto não ficará impune, as consequências virão e serão ruins demais, o Filho do homem não usurpou o ser igual a Deus, antes se esvaziou e se humilhou, até a morte... Fp2;5-9 como podemos nós usurpar a autoridade dEle, nos aproveitar de Sua palavra em benefício próprio (o pior é que nem nos beneficia de fato esta atitude). Não nos iludamos, todo uso indevido da palavra de Deus é como um boomerangue, sempre volta para quem o lançou... o bem ou o mal que você fizer à sua esposa, será bem ou mal feito a você mesmo em última análise Aqui temos outro problema dos “cabeçudos” (não dos que realmente agem como cabeça) eles pensam que a medida de fazer o bem ou não é determinada no tribunal de sua própria consciência, meu amigo, se sua esposa não compreender que o que você está fazendo é um bem, de nada vale o seu esforço. Quem pode avaliar se o que estamos fazendo causa bem ou mal é o “beneficiário” de nossa ação e não nós mesmos. Trocando em miúdos de nada vale trocar o carro por um melhor “para a família” se o que a esposa necessita é de um novo ferro elétrico...
Faremos muito bem em nos lembrar que, como em nosso corpo natural, a cabeça não é feita exclusivamente para dar ordens e comandar, ela também sofrerá juntamente com o corpo por ordens mal dadas, decisões infelizes, erros que venha a cometer, de nada adiantará a cabeça ficar dizendo, viu eu te disse!!! No fim das contas é a cabeça que arcará com as consequências de todas as coisas, é ela que ficará ocupada buscando alternativas, soluções e respostas....
A anulação da mulher em nome de pregação de Paulo, a meu ver é uma tremenda confusão teológica, uma heresia machista que gerou a outra heresia feminista, relegar a mulher a um segundo plano inferior como se fosse um ser menor, menos nobre, alijando-a dos processos da família, ignorando seu entendimento e emoções é, a meu ver, uma aberração espiritual, que traz como consequência mulheres feridas, tristes, amarguradas, em alguns casos desesperadas e deprimidas, em nada glorifica o nome de Deus e ocasionará em algum tempo uma reação indesejável seja da esposa ou dos filhos que se cansam da “macheza” (nem sei se existe tal palavra...) de seus pais e saem em busca de outro modelo menos opressor. Além do que, tem privado as famílias e a comunidade em geral de receberem das riquezas de Cristo, que estão dentro destas mulheres, e que aí foram colocados por Deus para abençoarem todas as famílias da terra. Quem saberá quanta riqueza foi sepultada juntamente com mulheres que não puderam dar o melhor de suas vidas, porque foram impedidas por homens zelosos, porém sem entendimento.
Infelizmente depois de dois mil anos de boa nova, ainda temos que escrever coisas como estas, que o Senhor se compadeça de nós e nos ilumine o entendimento para deixarmos de lado o que não convém e sermos reeducados por Sua graça.
É parece que isto virou mais um desabafo do que simples considerações, mas lá vai.

FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...